DINHEIRO COM BITCOIN

As Criptomoedas viram as negociações mistas na quarta-feira, perto de uma alta de um ano, quando a euforia da mudança do Facebook para moedas digitais começou a se dissipar.

As criptomoedas operavam alta de forma geral, com o valor total de capitalização de mercado total subindo para US$ 286,29 bilhões às 9h40,, recuperando-se ligeiramente da queda para US$ 281,48 bilhões no dia anterior.

Um rali desde 9 de junho até a segunda-feira passada aumentou o valor total de mercado em quase 19%, para US$ 290,15 bilhões, níveis não vistos desde julho de 2018.

QUERO SABER MAIS

O Bitcoin, a maior moeda alternativa por capitalização de mercado, caiu 0,8% para US$ 9.096,7.

Entre as moedas alternativas rivais, caía 0,2% para US$ 266,92,perdia 1,6% para US$ 0,42896, enquanto o bitcoin subiu 4,0% em US$ 137,05.

O volume total de criptomoedas atingiu o pico de US$ 76,82 bilhões com a recente recuperação, antes de cair para US$ 54,35 bilhões na terça-feira, quando o recente movimento do Facebook na arena das moedas mudou a atenção dos investidores.

O gigante das mídias sociais revelou na terça-feira alguns detalhes de seu plano para participar de uma moeda estável chamada Libra, que deverá ser lançada no primeiro semestre de 2020.

Em resumo, o blockchain de Libra registrará todas as transferências das moedas e facilitará os pagamentos entre indivíduos, oferecendo transferências de dinheiro instantâneas com taxas baixas. De acordo com o informe oficial, “a missão de Libra é permitir uma moeda global simples e infra-estrutura financeira que fortaleça bilhões de pessoas”.

O analista do Investing.com, Clement Thibault revisou o novo projeto do Facebook e o chamou de uma “inovação emocionante” do ponto de vista tecnológico e financeiro.

“Não apenas o Facebook (bitcoin) tem como objetivo unificar os sistemas de pagamento pela internet, mas também está tentando lançar uma nova moeda global que não deve desafiar os reguladores do governo, já que o valor de seus tokens depende do valor das moedas soberanas”, disse ele. “Ainda assim, parece que a Big Tech está agora um passo mais perto de desviar o equilíbrio de poder das agências governamentais.”

Mas Thibault enfatizou que Libra não era um negócio fechado nem um sucesso garantido e apontou que os reguladores dos EUA já estavam se armando para manter a criação sob controle.

QUERO SABER MAIS 

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *